Olhem o que temos por no chica escreve!

Olhem o que temos por no chica escreve!
Basta clicar!

Vejam no Chica brinca de poesia!!!

Vejam no Chica brinca de poesia!!!
Basta clicar!

  ♥Uma foto e a "viagem"... ♥
 


Foto nosso filho  Gordo


Essa foto me fez viajar...

Fui lá para o passado...

Férias em família...

Bagunças até no ar.. Em todo lugar!

Tralhas para levar arrumadas, depois desarrumadas para os dias por lá aproveitar!

Correrias, brincadeiras, muitas risadas.

Assim passavam os dias, entre banhos, roupas e pele  sempre molhadas...

O calor escaldante só assim amenizava.

Ao fim do dia, hora do banho de verdade, de chuveiro tomar.  Mais uma pilha de roupas pra guardar, outras para lavar.

E após o banho a cor deles aparecia... Vermelhos como tomates, o sol  castigara... E dá-lhe Caladryl na pele, para  noite sem dor garantir. 

Naquele tempo o protetor solar não era famoso. No máximo era usado um óleo bronzeador, mas as crianças nem gostavam ...

Após a janta, hora por eles tão esperada... Cada um devorava o prato principal, leite,  sobremesa e chocolates antes de dormir.

Eles dormindo, era hora do casal finalmente,  um pouco a sós ficar!

Os dias passavam rapidamente. 

E o tempo também vooooooou com a mesma rapidez.   Entre chuvas, temporais, idas, despedidas, estudos, trabalhos, o presente chegou...

Hoje, férias são bem diferentes.

Juntar todos eles? Nem pensar. Cada ano isso mais complicado está.

E vendo essa foto de um deles, lá tão longe em Dubai morando, não pude deixar de contar as cadeiras...

Na foto elas são seis, o número de nossa família antigamente: pai, mãe e quatro filhos. 

Naquele tempo, nem cadeiras pra beira da praia levávamos.  Nem nelas podíamos sentados ficar. Era sempre a correr e contar um, dois, três, quatro, para ver se todos ali estavam...Mas a juventude estava ao nosso lado e em nosso corpo. Corríamos, jogávamos, fervíamos...


E a foto continuou a me fazer pensar...

Seis cadeiras bem ordenadinhas, luxo, conforto, mar lindo, mas mesmo lá, o número de membros da família, não preenche as cadeiras... Lá são só três pessoas. (No momento que escrevo, por uns dias, estão os quatro felizes juntos lá!)


Tudo muda, mas  tudo nos marca, tudo nos faz viajar ao passado...

Ficar nele por alguns momentos até ser interrompida por uma vozinha querida:
-Vovó raposa, vovó rapooooooooosa, óia aqui!

O presente me chama... E que presente!!!..

Só resta logo atender senão, não se sabe o que pode aparecer!!!rs...

chica



♥ O que restou... ♥

*Imagem trouxe lá da Piedade Sol

Quantos anos já passaram?
Ela não saberia responder...
Tantos foram e não bastaram
para daquele dia esquecer...

O passeio de mãos dadas,
os pés na areia afundando...
Botinas dele, lá tiradas ,
ao amor espaço dando...

O banho depois do amor,
milimetricamente bem lavados,
refrescou os corpos e seu calor,
e do mar saíram abraçados...

O amor que para sempre seria,
 de repente foi  interrompido...
Restou a imagem daquele dia,
 mas  seu coração de dor foi esculpido!

chica

* Inspiração na foto da Piedade Sol, de Portugal.

  ♥As chuvas... ♥
 


Essa é minha participação no Projeto UMA IMAGEM, 140 CARACTERES

Participem também!  Basta clicar na Silvana e ou Mari

(((o)))o(((o)))o(((o)))


Chuva e frio?

Eu, como as aves gaúchas não aguento mais!

Mas agradeço por ainda estar com minhas asas secas, já que tantos flagelados, sem casa existem.

chica

  ♥ Voando...♥
 

* Foto do Rui Pires ...




Outono lá fora.

Dentro de si, no entanto,  mais parecia inverno cinza e triste...Chovia...

Pela manhã, fazendo o que gosta tanto, lendo amigos e amigas, deparou-se com essa foto acima.

Estava saudosa de algo que nem ao menos havia vivido.  Como explicar?

Sentia saudades pelas vivências do marido com seus parentes na Itália, numa cidadezinha perto de Roma, Nerola. 
Linda cidade ,com apenas uma rua principal e um imponente castelo.

O marido sempre em suas narrativas lembra aquele bom tempo de infância, criado  com ajuda dos avós e tios, todos numa mesma casa grande, dividida por andares, onde em cada portinha, uma ramo da  família...

Trabalhavam na terra, camponeses. Cultivavam olivas, frutas, parreirais enormes...

Tempo de muito trabalho, conta ele.

Férias escolares eram lá naquele ambiente passadas e naturalmente a ajuda  aos mais velhos, era uma das programações lindas delas.

Acordavam antes do sol nascer e na cozinha, já o lanche preparado pela nonna e zias  para o dia de trabalho nos campos. Muito a fazer sempre em todas as épocas.

Do lanche, faziam parte figos apenas colhidos, ainda com aquela gotinha de açúcar, bons pedações de pão, peras, salames e até vinho para os mais velhos. Alimentos puros, sem agrotóxicos. Sabiam realmente  o que comiam ...

Ele cresceu, tornou-se homem e, por circunstâncias da vida, atravessou o oceano.

Nova vida por aqui, tão diferente da de lá!

Trabalhou, tiveram a sorte de se conhecer, casaram, vieram filhos e muitos netos...

Muitas vezes pra lá voltaram.
Ela tudo aquilo viu, conheceu a família, ainda com  os tios e tias .. Hoje nada mais existe ou muito pouco... 

As terras, que a tantos sustentaram, deixadas pelos   mais novos que buscam outra forma de viver...
Tudo abandonado ou vendido. 

Nada mais daquelas memórias está presente.

Sua Itália está diferente...

Sua Nerola, não é mais a mesma...Cresceu, mudou, pessoas se foram, outras bem estranhas lá chegaram...

E  hoje olhando a foto, saudades  mesmo sem ter tudo aquilo vivido na boa época...

Mas como a vida dá voltas e mais voltas, um dos seus genros, entre outra atividades, aqui no Brasil, está iniciando o cultivo das olivas, trabalho de formiguinha. ainda. Tudo apenas tomando forma.

E o casal pensa e lastima não ter mais o Nonno, a Nonna, o Zio Totto e zio Mário pra poder  contar essa novidade que tanto os alegraria. 

A cada visita lá, eles tinham o maior orgulho de dizer e presentear com o que diziam ser o melhor azeite do mundo.  E era mesmo muito bom!

Orgulhavam-se dele, colocavam amor em cada etapa desde o plantio até a colheita e extração... Só podia dar coisa bem boa!

Hoje, com a chuva lá fora, ao ver essa foto, a imaginação voou ...

O balanço que aparece,  mostra ao seu ver,  que sempre fica um doce embalo da criança que em nós habitou e de quem nunca podemos nos perder!

O tempo passa depressa demais e por isso, viver cada momento é preciso...
Recordações boas ficam e nos marcam pra sempre!

chica

* Tão logo vi essa foto lá no blog do Rui Pires, logo minha imaginação  voou  e resolvi escrever...